quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Uma sopa de letrinhas nada homogênea

Mais uma vez O Palco volta à ativa para falar deste assunto que eu tanto gosto: a politicagem, perdão, política brasileira.

Para falar bem a verdade sou um tipo de pessoa que acredita fielmente que deveriam haver eleições todos os anos, afinal, eu me divirto muito mais rindo dos absurdos que vejo e ouço do que com qualquer outra coisa que eu veja no decorrer de cada biênio.

É claro, que nesta postagem não pretendo nem comentar sobre esta estranha coincidência de toda eleição no Brasil ocorrer justamente no ano de grandes eventos esportivos que concentram a atenção e a simpatia do povo brasileiro, afinal, esta é apenas uma coincidência tola, que não deve ser ressaltada.

Quando falo do quanto sinto vergonha destes que dizem me representar, não brinco, e sinto mais vergonha - desta vez alheia - quando vejo pessoas que destroem amizades, estragam conversas e se tornam muitas vezes 'o chato do grupo' só porque acham que o partido A deu emprego pra todo mundo ou que o político B pensa mais no povo pobre.

Aí vai uma novidade:

Quase nenhum político se importa com você que luta tanto por eles!

Afirmo isso em 'letras garrafais' pois creio que muita gente ainda não deve saber disso, afinal, todos os dias vejo pessoas que nunca viram um ou outro candidato pessoalmente, fazendo campanhas e mais campanhas porque um candidato é 'o pai do povo' outro é 'o líder de uma renovação', entre tantos outros adjetivos, porém, todos - ou quase todos - são absolutamente iguais e pensam única e exclusivamente no dinheiro que ganharão após eleitos.

Quando digo que acho ridículo pessoas que exaltam um partido porque historicamente eles defenderam uma parcela da população e se mantém firmes à essa ideologia também não brinco, pois tais 'criaturas' são incapazes de possuir qualquer tipo de fidelidade, nem ideológica nem partidária e digo isso com plena confiança em meus argumentos, afinal, se um partido lida com a questão da natureza como seu carro-chefe é quase que inaceitável que alguns de seus membros 'que se filiaram apenas por acreditar na defesa dos recursos naturais' passem a defender a causa socialista de uma eleição para a outra, onde está a convicção nisso tudo?

Para se ter uma noção exata do que digo, peço que você diga sem pesquisar:

"Quantos partidos políticos estão em atividade atualmente no Brasil?"

Se você assim como eu não sabia, a resposta para esta pergunta é 32, sim, existem trinta e dois partidos políticos em atividade no Brasil, e mais tantos outros em fase de coleta de assinaturas para seu estabelecimento, aí vem a questão: existem tantas ideologias diferentes assim que necessitam de uma empresa/partido que os represente?

Para quem não sabe, temos 11 candidatos à Presidência da República, dos quais a população brasileira conhece apenas quatro ou cinco.

Cabe ressaltar que cada partido possui um tempo determinado para suas inserções no Horário Eleitoral Nada Gratuito, o que faz com que muitos partidos 'nanicos' se aliem a grandes partidos apenas para conseguir aumentar seu tempo de mídia - o inverso também é válido.

Estes ainda não são todos os partidos brasileiros
Isso não seria em nada estranho, se não houvessem situações absolutamente ridículas quando analisadas as coligações nacionais e estaduais, seguem exemplos com base no estado de Santa Catarina:
  • Dilma Rousseff (PT) é a candidata à Presidência pela coligação "Com a força do povo" que possui como aliados: PMDB, PSD, PP, PR, PROS, PDT, PC do B, PRB;
Isto seria completamente aceitável, se no estado de Santa Catarina o candidato do PT Cláudio Vignatti não concorresse em chapa isolada tendo entre seus concorrentes Raimundo Colombo do PSD, que em âmbito nacional apoiaria (na teoria) a candidatura do PT, dada a coligação nacional, ainda dentro da coligação "Santa Catarina em primeiro lugar" encabeçada por Colombo, temos o PSC que possui candidato próprio à Presidência (Everaldo Pereira - referencio assim porque acredito que quem usa um cargo religioso para se eleger não merece este tipo de notoriedade), além do PSC, mais outros dois partidos com candidatos próprios à Presidência (PV e PSDC), entre outros tantos casos nas eleições catarinenses e em outros estados

Logo, você que defende um partido porque acha a ideologia bonita, repense antes de fazer inflamados discursos sobre a história do 'seu partido', afinal, se não existe sequer fidelidade nas alianças (que são feitas única e exclusivamente objetivando mais tempo no Horário Eleitoral), que se dirá aos princípios de seus fundadores.
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...