domingo, 18 de março de 2012

♪ Delícia, delícia...♪

Acho engraçado o quanto eu brinco sobre ter vergonha de gostar de música italiana, lógico, falo em forma de brincadeira, não tenho realmente qualquer tipo de vergonha em dizer que prefiro mais algumas músicas italianas a algumas músicas brasileiras.
Mas acho ainda mais engraçado quando ouço pessoas me perguntar: "Por que tu não valoriza a cultura do teu país?" "Por que ouvir essas músicas que nem dá pra entender direito?" "Música italiana é só ópera e essas coisas chatas, por que tu ouve?", isso só pra citar algumas perguntas que eu já ouvi.


Em primeiro lugar, músicas italianas são relativamente fáceis de compreender, basta apenas um pouco de vontade, até porque muitas vezes o poder da música fala mais alto, seja ela italiana, francesa, polonesa ou americana.
Em segundo lugar, nem tudo é ópera existe rock, pop, [é claro] músicas românticas, assim como heavy metal e tantos outros gêneros que encontramos em inglês ou português, tudo é uma questão de querer procurar.

Mas o ponto que eu gostaria de me aprofundar é a questão de 'ter orgulho das raízes', sinto que é muito pelo contrário, ouço músicas italianas sobretudo por adimirar um pouco do 'nacionalismo' que eles têm em relação à música, dando mais importância aos valores 'da terra' [deles].

[Eis que alguém pergunta:] "Se adimiras por que não fazes o mesmo?"

[E eu respondo:] "Faço"

Valorizo muito a música brasileira,  apesar de não ouvir muito, [irônico, 'não ouço mas valorizo'], a questão é que eu valorizo a verdadeira música brasileira, valorizo o samba [o original, o antigo], valorizo o rap com mensagem social verdadeira [e não essas modinhas de 'sou pobre e tenho o direito de fazer o que eu quiser'], valorizo até o sertanejo raíz [aquele bem meloso mesmo], mas, definitivamente, não me peça para dar valor a um texto com menos de dez estrofes ou que fala só de sexo e baixaria tendo que muitas vezes apelar pra danças provocativas ou mulheres semi-nuas, que muitas vezes tenta se intitular como funk [sendo que o verdadeiro funk para mim era feito por mitos como o James Brown, entre outros grandes americanos], mas pior que isso é querer me 'empurrar goela abaixo' coisas como [...]Delícia, delícia, assim você me mata[...] ou [...]Ai, ai, assim você mata o papai[...] ou até mesmo [...]Hoje eu não vou dar, eu vou distribuir[...] e tantas outras coisas que somos obrigados a ouvir por aí.

Não quero ofender quem gosta desse tipo de 'música', desde que não me olhem torto quando eu disser que prefiro música italiana e mais que isso, não quero que me façam aceitar que esse é o futuro da cultura e da música brasileira, até porque se isso é cultura, não quero saber o que é 'falta de cultura'.

ps.: Essa postagem terá uma espécie de segunda parte que saíra na terça-feira.

Um comentário:

  1. Definitivamente, a música italiana é muito mais que ópera. XD
    Belo post, parabéns.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...