sexta-feira, 31 de maio de 2013

O que que tem?

É interessante que nos dias atuais a sociedade está começando a ficar 'mais aberta' com certos assuntos, de certa forma fico bastante feliz em ver que muitas pessoas acabam 'assumindo' suas preferências sexuais e mesmo aceitando sua própria orientação, mesmo que em alguns casos seja apenas por seguir uma modinha de dizer que "o mundo é gay", mas acaba sendo válida a intenção de mostrar um pensamento mais amplo nesse quesito.

Insisto em afirmar: acho muito justo que casais homossexuais tenham pleno direito de viver suas vidas em paz e também possam receber do governo o respaldo para ter seus direitos reconhecidos (como união civil, entre outros).

Estamos dando passos cada vez mais largos em direção à justiça, pois se somos um Estado laico, qual o problema em permitir que pessoas que não formam o modelo de casal que as igrejas consideram correto sejam felizes?

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Direitos e deveres

Acho interessante que todos somos acostumados a sempre exigir nossos direitos, entretanto, ninguém costuma se lembrar dos deveres, afinal, é muito fácil exigir, mas por quê é tão difícil fazer o certo?

As pessoas costumam sempre reclamar quando ocorrem deslizamentos e enchentes, mas são essas mesmas pessoas que acabam jogando lixo nas encostas dos rios, invadindo terrenos que não são seus e construindo casas em situações absolutamente precárias e quando acontecem as tragédias, reclamam que as prefeituras estão lá para cobrar impostos e nada fazem por eles.

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Respeito é bom...

Meu maior medo quando tentei ministrar aulas foi aprender a respeitar e principalmente lidar com os alunos, afinal, é claro que já tive a idade que eles tinham - e por sinal isso não faz muito tempo - mas às vezes - como acredito que aconteça com todo mundo - tenho certos problemas com alguns "tipos" de pessoas.

No primeiro dia, achei que seria difícil, como realmente foi - nunca será fácil - pois, como disse, havia mais de um aluno dentro da sala, o que me obrigava a lidar com várias personalidades diferentes e além de personalidades, humores diferentes, pois nem todos vinham de bom humor ou concentrados no mesmo dia, aliás, havia turmas que pareciam não se concentrar nunca - claro que é uma brincadeira - entretanto, como disse na postagem "O que aprendi ensinando" e reafirmo nesta postagem: aprendi muito com cada um dos alunos - ou pelo menos com boa parte deles - e isso é algo que não posso negar.

Mas mais do que aprender com eles, aprendi a respeitar muitos deles, assim como percebi que tantos outros aprenderam a me respeitar, talvez não com a autoridade de um professor - admito, tenho caráter "tirano" mas não fui tão severo como poderia ser - até porque poucas vezes agi como um 'professor clássico' que tenta criar um abismo entre o conhecimento e os alunos, de modo a ser apenas ele o único a dominar o saber, pelo contrário, para muitos tentei ser praticamente um amigo, um companheiro de jornada, daqueles que você sabe que pode contar na dificuldade.

Eu seria arrogante demais em dizer que consegui atingir o objetivo de dizer que me tornei amigo de todos os alunos, que consegui fixar os assuntos por ser um excelente professor ou qualquer coisa nesse sentido, entretanto, uma coisa me fez muito feliz em toda essa caminhada: saber que consegui conquistar mais do que apenas a obediência cega de alguns alunos por ter sido o professor deles e que conquistei o respeito de alguns alunos que com o tempo também fui aprendendo a respeitar.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...