quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Grazie, per ogni singolo momento nostro!

É incrível a minha dificuldade em dizer "eu te amo" para alguma pessoa, até porque quando eu digo parece às vezes 'uma coisa forçada'.
Não vou negar que algumas vezes essa dificuldade já me atrapalhou muito, por ter uma pessoa que eu realmente amei ao meu lado e não ter coragem suficiente para dizer isso a ela sem parecer um bobo.
Mas é engraçado como sou capaz de dizer apenas para algumas pessoas e sou capaz de sentir isso por menos pessoas ainda.

Desde sempre acreditei na teoria de que cada pessoa tem uma energia (boa ou ruim) que às vezes muda conforme o dia (para melhor ou para pior).
Tem pessoas que quando chegam perto de mim, mesmo em dias ruins são capazes de me animar mesmo que sem dizer nenhuma palavra, outras me 'contagiaram' de tal forma, que vez ou outra eu sinto suas energias 'pairando' ao meu redor.

Mas tem uma em especial que me 'levanta' lembranças de coisas boas (mesmo de momentos que nunca vivemos), apenas uma felicidade súbita que me invade no momento em que a vejo ou leio algo a seu respeito, é uma sensação bastante estranha, inclusive, como já disse a ela, ao ver suas fotos já começo a ter várias inspirações de textos, então nada mais justo do que comentar essa experiência estranha (mas ótima) nessa postagem.

Lógico que cada pessoa me causa um tipo de reação, mas achei justo falar um pouco mais dessa sensação em especial por ser algumas vezes o impulso que me impele a criar textos novos.
Deve ser até uma espécie de amor mesmo, mas uma coisa um pouco mais verdadeira, um pouco menos interessada e definitivamente mais grata...

domingo, 23 de setembro de 2012

Quem sai perdendo?

Ultimamente quando abro o meu Facebook tenho dois sentimentos distintos: o primeiro é uma espécie de orgulho em saber que tantos jovens estão atentos e se interessam por política, já o outro é uma completa vergonha por ver as brigas e ataques que acontecem frequentemente entre os simpatizantes de cada partido.
Não é a primeira vez que afirmo: "os candidatos não se importam com essas pessoas que perdem horas e horas discutindo em nome deles".
É incrível, ao invés de exporem os argumentos, divulgarem as propostas e informar a população, os candidatos e simpatizantes preferem perder tempo realizando ataques pessoais, envolvendo as famílias na briga e tantas outras atitudes deploráveis.
Entretanto, alguns indivíduos preferem criar perfis nas redes sociais só para discutir, dizer que A é melhor que B porque o povo gosta dele ou qualquer outra razão pífia que só serve para gerar mais polêmica.

Aos simpatizantes: se querem tanto causar impacto em redes sociais, peçam para os seus candidatos tirarem um tempo e gravarem suas ideias e propostas em vídeo e divulguem esse vídeo pela internet ou pelo menos busquem provas para falar o que um fez ou outro está fazendo.

Chega de ataques pessoais!

Repito: "os candidatos não se importam com essas pessoas que perdem horas e horas discutindo em nome deles", então parem de perder seu tempo atacando uns aos outros, é isso que eles querem, quanto mais o povo brigar entre si, mais vão esquecer de 'brigar com eles' para obter a verdade.

Enquanto 'vocês' perdem tempo se degladiando via redes sociais, eles vão tramando alianças para que nenhum deles saia perdendo, isso é política isso é politicagem, e é hábito no Brasil, brigar só favorece esse 'espírito canalha' incutido em boa parte dos políticos brasileiros.

Ao leitor

Eu costumo definir "O Palco" como o "lar de todos os meus pensamentos (e principalmente) sentimentos", apesar de há algum tempo preferir escrever textos críticos, não quer dizer que esqueci de todo o lado mais sentimental da minha inspiração e, sem dúvidas, "O Palco" é o lugar onde eu me sinto mais à vontade para expressar esse tipo de pensamentos.
E nesses quase dois anos de blog, muita coisa já aconteceu na minha vida: conheci muitos colegas que hoje já não fazem mais parte da minha vida, ganhei amigos e vi eles se distanciando de mim, vi blogs parceiros surgirem e terminarem, perdi amores, vivi amores, ou seja, por mais que sempre diga que não, minha vida seguiu e seguiu bastante.
Me alegro cada vez que percebo que o blog está recebendo mais visitas, me alegro mais ainda quando vejo que são novos visitantes, pois como todo pai tenho muito orgulho desse meu 'filho digital', mas mais do que isso, fico contente em saber que mais pessoas passaram a conhecer um pouco mais do meu universo e das minhas perspectivas.
Aqui já compartilhei muitas tristezas, tantas alegrias e algumas histórias que 'ao vivo' não contaria para ninguém, que só se tornam públicas graças à 'frieza' da internet.

Só posso agradecer a você que tira 5 minutos da sua semana para ler e conhecer essa parte tão íntima do 'meu mundo' e que eu carinhosamente chamo de "O Palco dos Pensamentos".

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é!

Desde bem novo aprendi a conviver com um preconceito que para mim não fazia muito sentido e ao mesmo tempo, aprendi a fazer algumas das minhas escolhas sem muito me importar com esse tipo de comentários, afinal, entendi que gostava mesmo de teatro e que era um tanto diferente dos demais e comecei a deixar de lado o que algumas pessoas pensavam a meu respeito.

Entretanto, algumas razões - que definitivamente não vêm ao caso, mesmo não sendo a meu respeito - me fizeram respeitar - muito mais - as pessoas gays e mais que isso, me fizeram admirar algumas delas.
Hoje em dia algumas das minhas maiores inspirações musicais são artistas homossexuais como o italiano Tiziano Ferro e o inglês Mika - não que isso tenha qualquer coisa a ver com o talento de ambos - mas para algumas pessoas poderia ser o motivo de repudiar o trabalho e a carreira de ambos.


Tempos atrás eu conheci a série "White Collar" - alguma coisa boa a Rede Globo tinha de trazer [risos] - que no Brasil é mais conhecida por "Crimes do Colarinho Branco" e tem por protagonista os atores Tim DeKay e Matt Bomer.

Mas no que essa introdução se relaciona ao texto principal da postagem?

Simples, um dia lendo alguma coisa sobre séries - não, isso não foi um 'furo de reportagem', apenas um fato que passou despercebido - acabei descobrindo que o ator Matt Bomer também é homossexual e convive há anos com seu companheiro e tem 3 filhos.

Um detalhe me chamou bastante a atenção, pois na série o personagem Neal Caffrey (interpretado por Bomer) é um sedutor de marca maior, fazendo sucesso com as mulheres da série e como já devo ter escrito há algum tempo atrás: "para ser gay não precisa ser uma 'desvairada'", e bem desse modo acontece no caso do Matt Bomer.

Como afirmei ali acima, isso não tira nem um pouco do talento e da admiração que eu tenho por todos esses talentosíssimos profissionais que aprenderam a encarar com naturalidade algo que (realmente) é natural.

Inclusive, por esses dias prestei um pouco mais atenção em um casal de meninas - muito bonitas por sinal - que vejo todo dia e admirei 'a coragem' que elas tem de viver o amor delas de maneira aberta, sem ficar fingindo coisas por convenção, como muita gente acaba fazendo.

Afinal, é difícil ser diferente, mas mais difícil é viver uma vida falsa apenas para agradar os outros.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...