quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Those days are gone...

É estranho quando você começa apenas a 'deixar os dias passarem' sem sequer tentar mudar as coisas, é incrível, acordo, trabalho e 'vegeto'.
É como um aparelho eletrônico que se coloca em standby, você sabe que está funcionando só que simplesmente não está ligado.
Os dias simplesmente passam diante de mim e cada um deles fica sempre faltando alguma coisa, um complemento, uma razão para pensar que esse dia valeu à pena ou que pelo menos justificasse o esforço de levantar da cama.
O engraçado é que sempre persigo a perfeição - mesmo ficando sempre bem longe dela - mas ultimamente a perfeição está sendo só um detalhe, 'o topo' está deixando de ser meu objetivo, estou começando a me contentar com 'a participação'.
Não consigo concatenar duas ou três ideias, meus pensamentos se perdem em meio a confusão da minha cabeça, todos seguindo as mais diversas rotas e me guiando para os mais estranhos caminhos, como se algo me arrastasse por lugares onde jamais desejei ir.

E o pior de tudo é que os dias seguem passando...

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

O importante é ter em quem colocar a culpa!

Hoje fiquei intrigado com uma notícia que dizia que o governo estadual de Santa Catarina pelo segundo ano consecutivo não iria fornecer o uniforme para os alunos do ensino fundamental, só que não foi isso o que me espantou, o que mais me soou estranho foi a justificativa dada: "para manter o salário dos professores foi necessário realizar cortes em outras áreas".

Entretanto, o mais interessante foi eu ouvir uma pessoa dizer: "daqui a pouco esses professores vão querer ganhar R$ 3000,00..."

E eu acho isso bastante engraçado já que os professores têm um papel pouco importante na sociedade: só transmitir o conhecimento aos mais jovens e em muitas vezes ajudá-los a formar o próprio caráter, mas isso é bem pouca coisa, não é?

Ironia a parte, eu acho uma maneira covarde do governo catarinense coagir os professores, afinal além de usar todo o poder que já possuem ainda fazem questão de colocar a população contra a classe docente, é baixaria demais...

Além do mais, continuo a insistir, se um professor que gasta (bem por cima) cerca de R$ 41.000,00 - por extenso pra tirar qualquer dúvida - quarenta e um mil reais, e sacrifica cerca de 4 anos da sua vida pra alcançar a instrução que possui, não merecer ganhar um salário digno, não sei quem merece.

Outra coisa, se um professor, que paga para trabalhar, se sacrifica - algumas vezes trabalhando em três períodos - é capaz de causar um rombo que resulte na necessidade de corte de verbas o que dizer do salário que o ilustríssimo senhor governador e todos 'os seus camaradinhas' recebem?

Se os governantes parassem de utilizar-se dos seus cargos para obter vantagens e benefícios, tenho certeza de que iria sobrar dinheiro para pagar os professores, os uniformes para os alunos, aliementar um pedaço do Nordeste e ainda financiar umas duas Copas do Mundo...

domingo, 1 de janeiro de 2012

Qual a real medida de um homem?

(Prometi pra mim mesmo que não iria postar esse texto, mas acabei não resistindo, apesar de ele ser escrito diretamente para "O palco dos pensamentos", tenho ele formulado há alguns dias na minha cabeça.)

Sinceramente, nunca entendi os conceitos que definem "homens e mulheres", melhor dizendo, sempre entendi porém não acredito em boa parte deles.
Desde sempre acho algo bastante ignorante afirmar que mulheres não são necessariamente mulheres por gostar de futebol, por não gostar/saber limpar a casa ou cozinhar, assim como nunca concordei com os conceitos que ouvia desde novo onde rapaz que não gostasse ou não jogasse futebol não era rapaz.
Não consigo acreditar como até hoje em dia, depois de tantos progressos e tantos avanços ainda temos mentes tão retrógradas que defendem a tese de que um homem só é homem se desempenhar bem a função de 'burro de carga' ou melhor, que homem só é homem se carregar qualquer peso sem dificuldade ou fizer serviços de força bruta sem problemas.

Francamente, só um 'australopiteco' ou um homem das cavernas é capaz de defender uma ideia dessas, até porque partindo dessa lógica errônea alguns dos homens mais admirados do planeta não poderiam ser considerados homens de verdade, pelo menos eu nunca ouvi falar nada a respeito de o Steve Jobs ou do Bill Gates ou até mesmo o Mark Zuckerberg terem 'puxado uma laje' antes de alcançar o sucesso e nem por isso eles deixam de ser homens e mais ainda, não é por isso que os feitos deles serão diminuidos.

Fazer trabalho pesado não é o que vai fazer um homem ser mais homem ou não, e sim a capacidade dele reconhecer que cada indivíduo tem seu modo de agir e pensar e também suas limitações.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...