terça-feira, 26 de julho de 2011

Explicação de um sumiço virtual futuro

Então, a frequência de atualizações vai ficar um pouco menor, graças a uma péssima compra que eu fiz.
Comprei um HD de 1TB da Seagate (quase igual a esse da imagem) e igual a algumas outras pessoas que também o compraram o bendito apresentou problemas, no meu caso logo no terceiro dia de uso, resultado: estou só com um HD de 40GB com cerca de 32GB utilizados, ou seja, extremamente lento, o que seriamente me desmotiva a ligá-lo.
O prazo mínimo para esse imbróglio se resolver é de no mínimo duas semanas, tornando-se também a data aproximada que eu vá voltar "às minhas atividades normais".
(Peço desculpas pelo 'papinho nerd' ali em cima, mas é essa a explicação clara).
E como todo nerd revoltado recomendo que quem procurar um HD de grande armazenamento considere outras opções antes de comprar o modelo ST31000528AS, mesmo sendo um pouco mais caras tais opções podem lhe poupar um pouco de dores de cabeça, fica a dica...

domingo, 24 de julho de 2011

Discutindo postagem alheia: Morte de Amy Winehouse

Partindo desta postagem do dia 24/07 do blog "A verdade vos condena" apenas gostaria de registrar um pequeno comentário:

Não vou julgar o comportamento dela, até porque não falta gente para fazê-lo, é sinceramente um modo de vida que eu não levaria de maneira nenhuma, mas cada um com seu cada um...
Entretanto criticar em totalidade o "personagem" do artista sobre o palco (seja ele músico, ator) com base em sua vida fora dele é algo um tanto leviano, sim, ela abusava demais das drogas, entretanto como cantora era uma grande artista, é o mesmo que dizer que Jimi Hendrix não teve valor musical nenhum, Kurt Cobain, entre outros.
Embora como pessoas não fossem exemplos de virtudes (pelo menos as partes expostas de suas vidas), como artistas eram algo de fabulosos, criticar a arte de alguém com base na vida real e não no trabalho é algo que não considero certo.

sábado, 23 de julho de 2011

Será que vale tudo mesmo?

Um dos assuntos do momento é o escândalo do milionário Rupert Murdoch que está sendo processado porque o seu jornal o "News of the World" foi acusado de 'grampear' vários telefones além de outras ações ilegais apenas para conseguir manchetes.
Entretanto, pergunto, será que devemos ir tão longe pra assistir cenas deploráveis para conseguir mais e mais manchetes 'bombásticas'?
Tenho quase certeza que redes de televisão ficaram exultantes com a morte do garoto Juan Moraes no RJ, por quê? Porque assim (me desculpem o termo) eles ganham 'carniça' nova pra ficar revirando, afinal, é disso que eles gostam.
Não basta mais vender um jornal por trazer notícias apenas, é preciso trazer desgraças, chacinas, banhos de sangue, ou seja, os veículos de comunicação acabam se tornando verdadeiros 'açougueiros' escolhendo sempre a carne mais sangrenta para estampar e exibir em seus jornais.
Ou vai dizer que eles não exploram o quanto podem as Isabellas Nardonis, as Mércias Nakashimas e qualquer outra vítima que apareça? Por que ninguém vai atrás da Ana Carolina Oliveira para perguntar como está a vida dela atualmente? Por que o sangue da coitada da Isabella já não está mais fresco?
Acho que não sou o único que muitas vezes dá preferência até ao repetido desenho do Pica-Pau para não ter de ver o banho de sangue que as emissoras tanto adoram exibir, tal qual um prazer sádico diário.
É sim preciso noticiar o que acontece, entretanto a importância que se dá as tragédias é quase revoltante, não digo que elas não sejam importantes porém também não devem ser exploradas da maneira que fazem os jornais e telejornais hoje em dia.
É preciso ter mais humanidade ao invés de apenas visar o lucro.

sexta-feira, 22 de julho de 2011

O meu melhor presente é você!


Não precisa vir com lacinho
Nem ao menos com um embrulho ou algo assim
Não precisa nem cartão
Basta apenas vir com esse sorriso
Com essa vontade de me fazer feliz
Que só você sabe ter
Essa alegria de viver que tanto bem me faz
Esse jeito de acreditar que a vida pode ser linda
Bastando para a gente apenas acreditar
É só isso que eu quero
Você, pra sempre em meu coração
Juntos em corpo, alma, coração e pensamento
É sem dúvida o melhor presente que a vida poderia me dar...

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Será que não se pode escolher?

Estamos cansados de saber que um dos piores problemas do Brasil é a pobreza/miserabilidade (novo vocábulo?) que muitas vezes nos proporciona imagens bastante tristes, como de pessoas vivendo como animais (ou pior que animais) em meio ao lixo e sem as mínimas condições de uma vida decente, crianças tendo de se alimentar do que encontram em lixões e tudo o mais.
Entretanto, esses dias me peguei a pensar e levantei para mim mesmo a seguinte hipótese: será que todos os que vivem esse tipo de vida realmente não tinham outra escolha?
Afinal, não são poucos os casos conhecidos de pessoas que por serem usuárias de drogas acabam abandonando o que tem (e que muitas vezes não é pouco) para viverem nas ruas como pedintes ou algo assim, outras vezes nem por culpa de um vício, como durante a fase em que o Movimento Sem Terra recebeu maior repercussão da mídia, não eram poucos os casos de pessoas que possuíam bom nível social e abandonavam tudo isso para viver de invasões em acampamentos improvisados.
Lógico, não comparando as condições de miséria às dos membros do MST, entretanto ambas são situações bastante precárias de vida para pessoas que muitas vezes possuem boas casas, bons empregos e condições regulares de vida.
E por isso continuo me perguntando: será que boa parte dessas pessoas não poderia escolher estar em um lugar melhor?

terça-feira, 19 de julho de 2011

De que serve a cultura?

Eu acho engraçado os nossos governantes, pois eles ficam 'inchados' quando ocorre alguma ação social e que cita o seu apoio (afinal, muitos deles não apoiaram qualquer iniciativa se não houvesse a possibilidade de que o nome deles fosse citado e futuramente exltado pelo apoio), entretanto, muitos deles sequer pensam no que significa certas inicativas.
O fato é que a greve dos professores no âmbito municipal (na cidade de Tubarão/SC), afetou muito mais do que apenas as salas de aula, já que uma das exigências dos professores era que os professores que estivessem fora de turma (os que não estivem atuando nas salas de aula) e efetivados pela prefeitura devessem imediatamente voltar às salas, porém (creio e espero) que essa revindicação deles fosse para atingir professores que 'nada fazem' e apenas recebem, excetuando os que já trabalhassem em outras áreas nas quais se faziam necessários.

Aí chegamos ao ponto, como muitos sabem, faço teatro e sou bastante apaixonado por isso, entretanto minha professora, por ser funcionária efetiva da prefeitura, foi remanejada para uma escola municipal e foi alertada de que deveria finalizar os trabalhos do grupo de teatro que ela mantém (por meio da prefeitura).
O problema é o que eles não sabem ou nem queiram saber, esse grupo é a porta de entrada para muitos que sentem curiosidade em conhecer o mundo teatro, por ser um grupo relativamente aberto, aceita pessoas sem o mínimo de experiência ou conhecimento teatral (como eu, no princípio) e através de técnicas, teorias e dinâmicas capacita não só para a vida teatral como para obter um melhor desempenho no falar e no porte diante de grandes públicos.

E é com isso tudo o que eles pretendem terminar, com um curso que há mais de 5 anos capacita pessoas de maneira gratuita e eficiente e mais do que isso, querem acabar com algo que já mudou a vida de várias pessoas (pessoas como eu que se encantaram com todo esse universo antes desconhecido).
Entretanto, adoram quando depois de alguma apresentação citamos seus belos nomes, mesmo sabendo que muitas vezes pouco colaboraram...
É, amigos, é pra isso que serve a cultura no nosso país, para que os nossos maravilhosos políticos possam se exaltar quando há sucesso e eximir-se de responsabilidades quando algo depende deles...
Sinceramente, espero que seja algo com o que eu esteja apenas fazendo uma enorme confusão e se trate apenas de um mal entendido...

Egoísta coração

Quem nunca teve aquela sensação de ver alguém com outra pessoa e pensar: "esse alguém merece uma pessoa melhor, tipo eu..."?
Sujeitinho egoísta esse tal de coração, sempre quer tomar o controle sobre nossas ações (como se já não fosse difícil decidir por nós mesmos).
Pior do que isso é que ele é quem quer escolher por quem nos apaixonamos, por que não deixar cada um de nós decidir e dizer: "Vai lá coração, é aquela que eu quero, agora manda ver e se apaixona aí..."?
Tão mais fácil seria tudo, tão mais fácil seria a vida, pense em quantas confusões você não teria se metido se fosse assim ou de quantas desilusões e sofrimentos você seria poupado, só que não é assim (nem perto, por sinal).
Então só nos resta sentar, esperar e ver esse egoísta chamado coração novamente escolhendo por nós até chegar em um belo dia em que ele acerta...

sábado, 16 de julho de 2011

Fanatismo

(Agora meus colegas blogueiros ateus vão pegar no meu pé [risos])
Na verdade isso não tem nem o intuito de ser "uma postagem" em si é mais como um comentário que gostaria de deixar público.
Eu me assusto cada vez que vejo pessoas que demonstram fanatismo religioso, - não recrimino as pessoas terem sua fé, seja ela católica, evangélica, budista, entre outros - quer dizer, eu tenho formação católica e nunca tive problema com pessoas que professam outras religiões/credos, porém não consigo me acostumar com pessoas que a cada três frases utilizam nas três o nome de Jesus, o nome de Deus e dizem que quase tudo o que é modernidade é "obra do inimigo" (inclusive até a vacina do H1N1)...
Discernimento povo, religiosamente falando, se Deus nos deu inteligência foi para que procurassemos meio de facilitar nossas vidas e viver melhor, não é?


"Qualquer coisa que seja em excesso faz mal"

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Pode ser apenas um novo começo

Curiosidade estranha, tive a ideia para essa postagem ontem durante a noite e ao verificar as atualizações dos blogs favoritos me deparo com uma postagem sobre outra fase da vida, a adolescência no blog Veja com seus Olhos...
Apesar de não me basear na postagem do Paulo, vou usá-la um pouco como gancho, já que escrever sobre a adolescência, é 'relativamente fácil' para um adolescente (até porque mesmo há uma semana de completar 20 anos também me considero adolescente), apesar de em muitas vezes não se entender direito essa fase, o fato de vivê-la se torna um apoio na hora de descrevê-la.
Entretanto, gostaria de dedicar essa postagem a um outro extremo da vida, a velhice (ainda que alguém me critique por usar esse termo), o fato é que durante muito tempo eu sempre tive medo de chegar a uma certa idade (praticamente a que eu estou agora [risos]) e não ter nenhuma grande realização na vida, realmente, estou chegando aos 20 anos sem nunca ter/estar cursando um curso superior, tenho a formação de técnico em programação e não tenho muito interesse em viver programando, entre outras coisas.
Talvez influenciado um pouco pelos filmes, desenhos e seriados, quando mais novo eu sempre acreditei que chegar na faixa dos 20 anos é estar um tanto velho (sei que parece um exagero, mas vai dizer isso pra uma criança), de modo que sempre achei que se não começasse nada grande até os 20, se não mudasse (ou desse um destino para) a minha vida até os 20 anos, eu jamais conseguiria sucesso no que eu fosse tentar.
Aí alguém vai criticar: "A postagem era sobre a velhice e só estais falando sobre completar 20 anos", realmente, mas tudo isso é para demonstrar a minha felicidade em constatar o quanto eu estava errado com os meus pensamentos.

Acontece que com o tempo, muitas vezes aparecem dores, doenças, a visão some um pouco, algumas tarefas antes fáceis se tornam um pouco mais complicadas, entretanto, só o tempo nos dá sabedoria e mais que isso, passar dos 60 não é sinal de se aproximar do final da vida, felizmente para muitos esse pode ser apenas um novo começo.
Fiquei feliz quando ouvi em um jornal que cada vez mais abrem vagas para pessoas com mais de 60 anos no mercado de trabalho e mais que isso, várias pessoas ao chegarem nos 60 resolvem mudar de vida e viver os seus grandes sonhos e isso (a mim pelo menos) parece ótimo, saber que existem pessoas que mesmo depois de passada quase uma vida inteira ainda não perderam a sua vontade de sonhar e realizar.
O mais incrível é que existem pessoas que mesmo depois dos 70, 80, mantém o mesmo brilho no olhar da juventude, daqueles que você encontra em alguém lá pelos seus 17, 18 onde se está cheio de sonhos e planos a serem realizados e isso é algo que me deixa fascinado, e mais que isso, me dá razões para acreditar cada vez mais que se queremos algo, não importa quanto tempo leve nem quanto esforço precisamos, se realmente acreditarmos que é possível, vamos alcançar.
Sinceramente, não sei o que vai acontecer nos próximos anos, espero que muita coisa mude para melhor (e que o mundo não acabe em 2012 [risos]) e que sobretudo eu não perca a vontade de realizar os meus sonhos, jamais.

"Nunca é tarde para [re]começar!"

terça-feira, 12 de julho de 2011

Experiência requerida

Engraçado como a gente só começa a se importar verdadeiramente com algumas coisas quando tais problemas nos atingem.
Eu nunca gostei dos anúncios do tipo: 

"Precisa-se de funcionário - necessário experiência de 2 anos"

Claro, é sempre bom ter um profissional qualificado e que saiba como lidar com certas funções dentro de uma empresa, quanto a isso não discórdo, mas afinal, por que praticamente toda a vaga de emprego tem esse tipo de anúncio?
Concordo que não se pode colocar inadvertidamente uma pessoa extremamente tímida para trabalhar em setores em que se precisa manter contato com fornecedores e/ou clientes ou uma pessoa que tenha sérios problemas com matemática para trabalhar com contabilidade, entretanto, é possível sim alguém que tenha afinidade com áreas específicas e nenhuma experiência desempenhar bem as funções requeridas.
Isso tudo é para demonstrar o que, que muitas empresas não possuem um bom setor de recrutamento, capaz de avaliar um candidato apto e um não apto para certas funções?
Mais do que experiência o candidato tem de ter vontade de aprender e crescer, pois é a força de vontade e o empenho que vão fazer a diferença no desempenho das funções.
Até porque em alguns casos as empresas exigem um alto tempo de experiência anterior porém restringem a idade máxima do candidato, o que torna a vaga um tanto quanto exclusiva demais.
Sim, compreendo que é um modo de evitar que o departamento de recursos humanos (quando existe) ou o responsável pelas contratações tenha de entrevistar candidatos sem o perfil necessário, porém isso também retira as chances de uma empresa obter um excelente funcionário que só espera a oportunidade de conseguir o seu primeiro emprego.

"Se não nos é dada a primeira oportunidade, como obter experiência?"

domingo, 10 de julho de 2011

Será que um pouco de educação faz tão mal?

 Engraçado, desde novo sempre fui bastante educado, inclusive nas vezes em que precisava e deveria explodir e mandar todo mundo pro espaço, claro, existem os rompantes, mas na maioria das vezes nada mais do que isso...
(percebi que sou péssimo com introduções)
Pois bem, por ser um tanto educado quase sempre fiquei junto das meninas, até porque a maioria dos meninos sempre estava ocupada demais tentando bancar o ogro, o que nunca foi a minha meta de vida, vivi sempre com meninas mas sinceramente o 'universo feminino' em si nunca foi muito a minha praia (mas isso não é assunto pra esse post, aliás, nem é assunto pra post), perseguições à parte (afinal, já viu um guri ser relativamente educado e conversar mais com meninas e não ouvir piadas nem nada?), nunca matei ninguém então considero que sobrevivi ao bullying [risos].
Contudo, sempre notei a tendência de que as meninas sempre preferiam 'os ogros' e 'sua maravilhosa delicadeza' de tratá-las como um pedaço de carne qualquer, lógico, entendo que nenhuma mulher vai querer ter do lado um homem 'frouxo', mas daí a gostar de maus tratos já é outra história...

(gostaria de direcionar esse paragrafo as mulheres que possivelmente lerão essa postagem)
Afinal, será que pra maioria é tão ruim ter um alguém que te trate com respeito (pra não dizer dignidade), como uma pessoa e não como um objeto, que te dê um pouco de atenção (mesmo não notando que a única mudança no cabelo de vocês foi um 'corte nas pontas'), mas ainda assim tratando com respeito e estando do seu lado procurando te ajudar e te apoiar?

Será que essa é uma atitude homessexual ou uma demonstração de 'moleza' ou 'frouxidão' por parte de um homem?
Educação é uma coisa, tendências homossexuais são outra...

Há algum tempo atrás conheci pessoas que me fizeram ver que na maioria das vezes educação e respeito não servem de muita coisa para conquistar alguém e sinceramente fiquei na dúvida: será que respeitar alguém é algo tão ruim assim que não pode ser feito?

(novamente direciono às mulheres)
Eu realmente encontrei pessoas erradas ou isso é algo que está no pensamento da maioria? Do tipo: "se o cara é educado só pode ser gay...", sinceramente gostaria que as mulheres que lessem essa postagem me tirassem de vez essa dúvida - lembrando que vocês podem salvar o futuro deste que vos escreve [risos] - por isso peço que respondam nos comentários.

"Existem mais coisas entre o céu e a terra do que imagina a nossa filosofia" - William Shakespeare
(livre tradução da cena 5 do 1º ato de Hamlet)

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Nossas máscaras diárias

Tem vezes que eu olho pro rosto das pessoas e não vejo 'rosto' em si, apenas uma imagem que as pessoas tentam projetar de si mesmas para que os outros as vejam com bons olhos.
E o mais estranho nisso é que existem pessoas em que nitidamente se pode notar essa máscara e o pior de tudo, muitas vezes você percebe que tais pessoas não tem um rosto próprio, apenas esta 'máscara' que exibem com todo o orgulho para todos achando que o que fazem é algo bom.
Afinal, será que vale a pena ficarmos sempre nos camuflando e disfarçando para que todos sempre nos adorem?
Será que as vezes não é legal deixar com que os outros vejam o nosso rosto limpo, sem disfarces, sem embustes, para que realmente nos conheçam e saibam quem somos?

"Que deixemos de viver só de aparências e possamos ser nós mesmos diante dos outros, com nossos erros, acertos, qualidades e defeitos..."

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Aos verdadeiros amigos...

Quem me conheceu por agora, conheceu um lado mais sério (na maioria das vezes) [risos] e mais fechado da minha personalidade, que muitas vezes é estranho até pra mim, já quem me conheceu há mais tempo sempre viu um lado mais 'festeiro' e expansivo, o fato é que o meu lado mais 'expansivo' me permitiu 'encontrar' muita gente e sempre 'conhecer' poucas, inclusive muitas dessas pessoas hoje em dia apenas fazem volume no meu Orkut, MSN e até Facebook, pessoas essas com as quais já nem tenho muito contato.
Muitos podem dizer: "deve ser ruim viver uma vida assim isolado", mas eu aprendi que 'se fechar' é uma coisa e se isolar é algo muito diferente.
Sem dúvida, hoje em dia sou muito mais fechado, mantenho menos contato com as pessoas, só que há muito isso me fez entender uma coisa: "nem todo mundo que te chama de amigo vai ser de verdade seu amigo".
Coisinha tola, né? Fácil de notar, não?
Nem sempre!
Eu não notava isso e por isso confiava demais em pessoas que eu somente 'havia encontrado', resultado: quase sempre me dava mal por confiar em quem não devia.
Não se pode viver em uma carapaça de ceticismo, mas pior que isso é sempre acreditar na palavra das pessoas que aparecem na sua vida, pode até parecer um 'discurso de mãe', daqueles que a gente sempre ouve quando começa a conhecer pessoas novas, mas o mais 'dolorido' pro nosso orgulho é que isso é a mais pura verdade...
Hoje, percebo que mesmo mais fechado existem pessoas que posso dizer que amo de verdade e que se não fosse por elas eu nem sei o que teria me acontecido...
Pessoas essas que eu chamo de amigos, sem medo nenhum de errar, porque sei que dificilmente haverá algo que aconteça que mude a minha gratidão a elas.
Mais do que isso, essas pessoas 'seguraram a minha barra' no pior momento da minha vida e  estiveram do meu lado pra me dizer que a vida era bem maior do que só os momentos ruins, por isso só posso dizer: "Obrigado por tudo! Inclusive por me fazerem viver e talvez até reviver" e que "tudo o que eu um dia ousar alcançar será porque vocês um dia estiveram ao meu lado. Obrigado, amigos!"

"Não existe melhor abrigo do que o abraço de um bom amigo..."

terça-feira, 5 de julho de 2011

Discutindo postagem alheia - Homossexualidade e 1º Desafio

Retornando com essa sessão, gostaria de comentar um pouco a postagem do dia 3 de julho do blog Logica Humanismo e Progresso, que fala sobre a homossexualidade.
Com sinceridade admito que não assisti aos vídeos até porque não me competia muito fazê-lo, porém me interessei pela discussão que seguiu-se pelos comentários.
Como já comentei há algum tempo na postagem do dia 7 de junho aqui mesmo no "Palco dos pensamentos" mais do que uma questão de comportamento creio que a homossexualidade é algo que a pessoa já traz consigo e apenas desenvolve (o famoso lado feminino de todo homem).
A postagem do Logica Humanismo e Progresso possui vídeos sobre o comentário infeliz da deputada Myriam Rios do PDT-RJ na qual ela acaba relacionando o comportamento pedófilo a uma pessoa que seja homossexual (só procurar no youtube que deve ter), pois bem, mais do que condenar tal comentário, acho absurdo o pensamento das pessoas que acreditam que é uma opção ser homossexual, talvez por isso nunca concordei com o termo 'opção sexual', afinal, ninguém escolhe ser homossexual.
Sem dúvida alguém vai dizer "claro que escolhe", mas eu creio que não, afinal, é algo que vem da sua cabeça e que você dificilmente vai ter controle, é como você tentar escolher se vai ou não ter alergia com algum alimento (não comparando o homossexualismo a uma doença).
E mais, acredito que muitos 'ex-gays' que acharam 'a cura' por qualquer razão que seja, nada mais do que vivem presos dentro de seus próprios sentimentos e fantasias.
Acredito que só existe a escolha entre "ser uma 'bicha' espalhafatosa/ser uma 'sapata' grosseirona" ou "ser um homem/mulher que gosta/se interessa por pessoas do mesmo sexo", o que tem uma grande diferença, até porque sempre acreditei (e já vi na prática) que uma coisa é ser homossexual e ser 'afetado/afeminado' e outra é ser homossexual e manter as 'características' relativas a pessoas de seu gênero, sem 'dar pintas' ou ter trejeitos.
Outra idiotice sem tamanho é essa história de admitir ou não um profissional em uma empresa de acordo com sua orientação sexual, como eu disse, nem todo gay vai ser afeminado e muito menos pedófilo, profissionais devem ser julgados por sua competência e caráter, jamais pelo que fazem ou deixam de fazer na sua vida particular.
Afinal, estamos aqui pra viver nossas vidas, heteros, homos se não forçarmos nossa orientação pra quem não a segue, garanto que todos podemos ser muito felizes...

domingo, 3 de julho de 2011

Nossas singularidades estão cada vez mais plurais

Acho curioso que quando eu era um pouco mais novo eu tinha uma maneira 'toda minha' de me vestir que não era lá muito bonita, mas era uma forma de ser eu mesmo, sempre achei estranho mas me sentia bem daquele jeito, mesmo parecendo bastante extravagante.
Passado algum tempo, me adequei um pouco a norma geral, porém algumas vezes ainda demonstro o meu estilo antigo, pois mais do que querer que os outros achem bonito ou legal é como eu me sinto bem.
Passada essa introdução um pouco melancólica, gostaria de deixar registrado o quanto acho esquisito a mania das pessoas de quererem se encaixar nos padrões alheios, quer dizer, o jogador Neymar é vaidoso, legal, fez um moicano porque se sentia bem assim, resultado, uma tropa de pessoas a imitar o penteado, assim como o Ronaldo e o 'corte Cascão' dele de 2006.
Mas ainda não é esse o ponto, o fato é que hoje em dia as pessoas seguem demais as 'modinhas' e ficam um tanto sem personalidade, quer dizer, puxe pela memória quantos garotos você conhece ou já viu que usam o tradicional cabelo de tigela/cuia (como preferirem) e um boné virado de lado na cabeça, ou quantos você conhece que usam o cabelo com um topete um tanto esculhambado na frente...



Um ou outro que esteja assim não é problema, o problema é que muitas vezes mal se consegue distinguir quem é quem, até porque muitas dessas andam juntas parecendo até uma seita ou algo assim... [risos]
Quer dizer, você tem que se vestir como se sente bem, só que é bom ter um pouco de individualidade nessa hora...

"Somos únicos e é isso que faz os seres humanos serem tão fantásticos..."

"No meu tempo o que importava era bola na rede..."

Hoje vendo futebol percebi o quanto certas coisas mudaram, mas não em relação às partidas que vi "ao vivo" pela televisão e sim com aquelas imagens de arquivo que vi de partidas dos anos 70, 80.
Prestei atenção ao modo de como o futebol atual é jogado: correria, explosão, força física, diferente de antigamente (pelo menos pelas imagens que vi até hoje), quer dizer, quem não lembra das imagens dos dribles do Garrincha, que parava na frente do marcador e 'entortava' os 'Joãos' como dizia ele, naquela época tudo parecia bem mais cadenciado e mais do que isso, tinha uma cara de futebol mesmo.
Mas a real razão desta postagem não é nem criticar ou analisar isso, já que não sou nenhum expert ou observador de futebol, o que me motivou a escrever foi o fato de perceber que já virou tendência há um certo tempo o uso de patrocínios no futebol, nas camisetas dos times já é comum há muito tempo, porém de uns tempos para cá comecei a perceber que inclusive os árbitros estão utilizando patrocínios nos uniformes.
Acho bonitos os uniformes mais antigos, que traziam unicamente a identidade do time (logo, cores) e no máximo o logo do fabricante do material, como estada década de 70 do América F.C. do RJ:



Ou esta da S.E. Palmeiras também dos anos 70:


É certo, patrocinadores trazem dinheiro e dinheiro traz e mantêm jogadores, só que eu particularmente acho tão feias as camisetas cheias de patrocínio, parecem outdoors ambulantes (e realmente esse é o principal propósito), como esta camisa de 2009 do S.C. Corinthians:



Nas apresentações do Rivaldo e do Luís Fabiano me assustei com o uniforme do São Paulo F.C. que estava parecendo com o uniforme citado acima, algo que (repito) considero bastante feio e faz com que as camisas custem mais por estamparem tais marcas.

Pior do que isso é só a regra que a FIFA instituiu (devido aos seus interesses comerciais) de que o jogador que retirar ou levantar a camisa deve ser punido com cartão amarelo, francamente, entendo que esse gesto seja uma forma de extravasar a tensão, a alegria ou qualquer outro sentimento do momento e punir isso é como punir o jogador por ficar feliz ao fazer o gol.
Pra falar a verdade acho que a FIFA tem que se preocupar em organizar melhor o futebol em si, ou seja, evitar as confusões de lances que parecem e não são gol, coibir melhor a violência, porque sinceramente, transformar o futebol só em comércio não é algo que eu ache muito bonito.

(As imagens acima foram retiradas da internet e são de responsabilidade de seus autores, todas possuem links para os sites onde foram originalmente postadas.)

sexta-feira, 1 de julho de 2011

2014 - porque os turistas são mais importantes que os brasileiros!

Li uma notícia engraçada há pouco tempo atrás, dizia que o governo federal havia aprovado a isenção de impostos para a construção do estádio do S.C. Corinthians P., logo no primeiro momento achei uma ideia bastante sem sentido, depois vi que não parava só aí, essa isenção se estenderia para todos os estádios da futura Copa de Futebol de 2014.
Oficialmente nunca gostei das opiniões do ex-jogador e atual deputado Romário, só que nos últimos tempos ele falou algo digno até de aplausos ao afirmar que a Copa precisaria de "um milagre", devido aos seus altos orçamentos, alguns me perguntarão: "qual a relação direta entre citar a notícia no parágrafo anterior e falar sobre a citação do Romário?" e eu respondo: "simplesmente porque compartilho da ideia dele".
Longe de fazer politicagem e elogiar partido A ou B ou político C ou D, apesar não conhecer 'as finanças' do Brasil, acho que uma Copa do Mundo de futebol exige muito investimento, alguém pode me criticar e dizer que isso vai trazer turistas e lucro para várias empresas, vai sim, mas um campeonato desses não é pura e simplesmente futebol, vamos ter milhares de turistas circulando pelo nosso país, o que exigiria uma melhor condição das estradas e menor desacato com os passageiros nos aeroportos.
Damien Pierson, turista francês há pouco tempo morreu no RJ ao cair do bondinho a uma altura de 15 metros após pasar por um espaço entre a estrutura dos Arcos da Lapa e a grade de proteção, ou seja, uma tremenda falta de responsabilidade de quem mantem o transporte (para não dizer desleixo), apesar de haver relatos de uma má conduta do francês, esse era um tipo de situação a ser prevista, já que envolve o transporte de pessoas, relatos indicam que após ter caído Damien ainda teve seus pertences roubados por alguns garotos de rua.
Afinal, como queremos trazer milhares de turistas para o nosso país se não cuidamos nem da nossa segurança? Como trazer pessoas de fora se nem ao menos conseguimos cuidar da nossa gente que vive na miséria e em condições sub-humanas? Como lotar nossos aeroportos de pessoas que esperarão por voos que podem demorar horas para chegar? (isso quando não cancelados).
Francamente, temos um Nordeste inteiro, além diversas regiões de favelas para cuidar antes de sequer pensarmos na ideia de organizar uma Copa do Mundo, enquanto o Governo oferece incentivos para grandes construtoras e para os milionários cartolas do futebol construírem seus belos estádios, vivemos inundados por toda a sorte de impostos que podem existir e tenha certeza, pagaremos e muito caro por essa Copa, mesmo sem sequer cogitar ir aos estádios, até porque para uns poucos terem isenção outros tantos terão sobrecarga de impostos.
Prefiro meu país cuidando do seu povo do que fingindo ser capaz de trazer milhares de turistas para um evento esportivo, não precisamos provar para a Europa que conseguimos organizar um grande evento e sim mostrar que podemos ser uma grande nação, deve ser porque nossos governantes adoram o fato de nosso país ser famoso pelo carnaval, pelo futebol, pela pobreza, violência...
Sem dúvida um belíssimo título a ostentar...

Viva a Copa do Mundo que por um mês vai nos fazer esquecer que vivemos em um país que sequer se importa com quem precisa de ajuda e que prefere fazer assistencialismo barato do que prover condições dignas de sobrevivência.

"Porque nem todos os gritos de gol poderão sufocar o grito de dor de quem precisa de ajuda..."
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...